PT EN   
 

Cidadão

Espaços Públicos

A concentração de pessoas em espaços públicos pode, só por si, constituir um perigo para o bem-estar das pessoas. Nos recintos onde estão concentrados vários indivíduos, os momentos de pânico, mesmo que sem justificação aparente, podem rapidamente causar vários feridos e perdas humanas. Os perigos são ainda maiores quando se verificam fenómenos como sismos, incêndios ou colapso de estruturas, que facilmente geram o pânico. Saiba como agir em caso de emergência.

Emergências em espaços públicos

Nos locais públicos, os riscos não advém apenas da concentração de pessoas. Ao contrário de emergências em locais que conhecemos bem, como as nossas casas ou os locais de trabalho, nos espaços públicos o desconhecimento do edifício pode constituir um grave perigo para os seus ocupantes.


Cuidados Gerais
  • Quando for a um espaço público e estiver acompanhado, defina sempre dois pontos de encontro. Um dos pontos de encontro deve ser no interior e outro no exterior, para o caso do edifício ser evacuado.
  • Em espaços públicos, onde há grande concentração de pessoas, deve usar várias peças de roupa em vez de uma única. Desta forma, se estiver a sentir calor pode despir-se facilmente.
  • Num espaço público que não conhece, tenha o cuidado de memorizar a localização das saídas de emergência. Nunca se sabe quando vai precisar de usá-las.
  • Informe-se sobre as medidas segurança dos espaços que frequenta, inclusive a capacidade total dos mesmos. Se não estiverem reunidas todas as condições que garantam a sua segurança, abandone esse local.
  • Em espaços públicos tenha especial atenção a pessoas com dificuldades motoras, visuais ou auditivas.
  • Se tiver dificuldades motoras, visuais ou auditivas, informe a organização pois é provável que exista um local adaptado às suas necessidades.
  • Quando for assistir a espectáculos não se coloque em locais onde a sua segurança esteja em risco.
  • Nunca atire objetos contundentes para o ar durante os espectáculos.
  • A entrada de objetos perigosos é proibida em espaços públicos, nomeadamente estádios, pavilhões, concertos ou discotecas.
  • Colabore sempre com as autoridades e lembre-se que elas estão nos espaços públicos para que a sua segurança seja garantida.
  • Se sentir que uma situação de pânico está próxima, aproxime-se das saídas de emergência.


Conselhos para situações de emergência
  • Em caso de emergência mantenha a calma e tente acalmar quem está à sua volta.
  • Quando ouvir o sinal de alarme, retire-se do local ordeiramente e não corra.
  • Utilize sempre as escadas. Se estiver dentro de um elevador saia no piso mais próximo.
  • Em caso de evacuação não se esqueça que a sua vida é o mais importante. Se tiver de abandonar malas, mochilas ou outros objetos para se movimentar melhor, não hesite em fazê-lo.
  • Se estiver sentado nos lugares mais altos de um estádio ou pavilhão, e se não estiver em situação de perigo, deve permanecer sentado. No entanto, deve preparar-se para sair do recinto.
  • Em caso de pânico, não se precipite para uma saída de emergência, verifique se não existem alternativas com menos gente.
  • Se cair, enquanto está no meio de uma multidão, tente levantar-se o mais depressa possível. Se não conseguir, proteja a sua cabeça com os braços e encolha-se.
  • Se durante o pânico estiver a ser arrastado por uma multidão deve andar no mesmo sentido desta, mas tentando chegar-se para uma parte lateral da mesma. Se possível encoste-se a uma das paredes laterais, onde estará mais seguro. 
  • Não fique parado junto a portas ou saídas de emergência. Estas têm de estar sempre livres para serem utilizadas.
  • Se presenciar situação de violência, retire-se do local e avise as autoridades competentes. Nunca entre em provocações ou confrontos.
  • Siga sempre as instruções dos agentes da autoridade e membros da organização.



Cuidados Gerais com Crianças
  • Quando levar crianças para espaços públicos, certifique-se que estas têm uma placa informativa onde está o nome e a identificação do responsável pelas crianças.
  • Tenha especial cuidado com as crianças e se possível leve-as sempre pela mão.
  • Ensine às crianças que caso se percam, devem pedir ajuda a membros da organização ou polícias.
  • Se levar crianças a eventos cansativos, não se esqueça que estas precisam de descansar, comer e beber água frequentemente.
  • Jamais deixe as suas crianças sozinhas. Até nas idas à casa de banho as deve acompanhar.


Conselhos para situações de emergência com crianças
  • É fundamental que acalme as crianças em situações de pânico.
  • Se estiver a acompanhar crianças, é essencial que em situações de emergência esteja sempre a segurá-las pela mão. 
  • Nunca desvie a sua atenção das crianças. No meio de uma multidão e numa situação de pânico, onde os empurrões são uma constante, as crianças, devido à sua estatura física, correm grandes riscos.

Segurança nos transportes públicos

Os transportes públicos são uma alternativa ao transporte individual que permite evitar as longas filas de trânsito e o tempo perdido à procura de um lugar para estacionar. No entanto, enquanto espaços públicos, a utilização deste tipo de transportes exige alguns cuidados que não devem ser dispensados.


Cuidados Gerais
  • Antes de viajar, planeie muito bem a sua viagem.
  • Durante a noite os transportes são menos frequentes, conheça os horários para evitar estar à espera durante longos períodos de tempo.
  • Sempre que possível viaje pouco carregado.
  • Antes de entrar no transporte público, tenha sempre o dinheiro preparado para pagar o bilhete. Desta forma não tem de estar a mostrar a sua carteira à frente de estranhos.
  • Esteja sempre atento durante a viagem ao que se passa à sua volta.
  • Evite adormecer durante as viagens.
  • Tenha atenção a possíveis carteiristas. Evite encontrões e aproximações indesejadas.
  • Quando entrar nos transportes públicos procure saber onde são os botões e as saídas de emergência.
  • Se viajar em pé, vire-se de costas para as janelas para que possa ver tudo o que se passa nos corredores dos transportes.
  • No caso de encontrar alguém a falar alto, ou pessoas a discutirem, mantenha a atenção. Frequentemente estes acontecimentos são formas de distrair os passageiros para os roubar.
  • Nos transportes públicos deve utilizar roupas discretas para evitar atrair atenções indesejadas.
  • Evite exibir leitores de mp3, telemóveis ou outros objetos de valor. 
  • Quando não se sentir confortável junto a um passageiro, mude-se para um lugar perto do condutor.
  • Evite viajar nos lugares traseiros de carruagens e autocarros. Procure ficar sempre perto de outros passageiros.
  • Sente-se sempre nos lugares próximos do corredor e evite ficar sentado ao pé da janela. Assim, em caso de problemas, poderá sair sem ser bloqueado.
  • Mantenha sempre os seus bens por perto. Deve viajar com os bens no colo, nos braços ou entre os pés. Não deixe os seus bens num lugar livre, mesmo que esteja ao seu lado.
  • Não viaje em carruagens vazias.
  • Se não se sentir seguro, evite sair numa paragem onde é o único a abandonar o transporte público. Saia antes noutra paragem onde vê mais gente a fazer o mesmo.
  • Utilize cinto de segurança nos táxis e autocarros.
  • Se viaja habitualmente de transportes públicos é normal que veja as mesmas pessoas com regularidade. Não tenha medo de as conhecer porque assim pode ficar mais protegido.
  • Não fale ao telemóvel enquanto espera a chegada de um transporte público. Esta situação pode deixá-lo mais vulnerável a possível assaltos.
  • Sempre que estiver à espera do autocarro ou comboio, durante a noite, faça-o em zonas bem iluminadas.
  • Tenha um telemóvel consigo para utilizar em caso de emergência.


Conselhos para Seniores
  • Sempre que entrar, ou sair, num transporte público, tenha atenção aos degraus e ao espaço existente entre as carruagens e a plataforma.
  • Prepare o bilhete, ou passe social, antes de entrar no transporte. Assim, evita perder o equilíbrio caso o condutor decida arrancar antes de ter tido tempo para se sentar.
  • Antes de entrar nos transportes públicos, espere que todos os que desejam sair o façam.
  • Não viaje em pé. Se tiver de o fazer, agarre-se muito bem, especialmente durante curvas, travagens e acelerações.
  • Não tente entrar nos transportes públicos quando as portas estiverem a fechar-se.
  • Se o transporte estiver cheio, não tente entrar. Aguarde pelo próximo metro, comboio ou autocarro.
  • Não viaje muito carregado e tenha sempre uma mão livre para se segurar.
  • Durante a noite use cores vivas para que seja visto nas paragens.



Em caso de Emergência
  • Permaneça calmo.
  • Siga sempre as instruções das equipas de segurança e do pessoal responsável.
  • Quando indicado, evacue imediatamente as estações de transporte utilizando as saídas de emergência. Se tiver dificuldades motoras será auxiliado pelas equipas de segurança.



No Metro
  • Utilize o alarme de emergência apenas quando necessário. Se ativar o alarme no caminho entre estações, o condutor só irá parar na próxima estação.
  • Se necessário, utilize o intercomunicador existente ao pé do alarme de emergência para falar com o condutor.
  • No caso de alguma falha elétrica, as carruagens têm um sistema de luzes alternativas. No entanto, se achar necessário pode utilizar o seu telemóvel como forma de iluminação.

Evacuação do Metro entre Estações Subterrâneas
  • Utilize as portas laterais para abandonar as carruagens. Deve sair do lado das portas que usou para entrar nas carruagens. Para abrir as portas, procure os mecanismos de emergência.
  • Entre a saída e o corredor lateral de emergência pode haver um fosso com o qual deve ter cuidado.
  • Oiça as instruções do condutor para saber a direção que deve tomar no corredor de emergência.
  • Quando estiver no corredor de emergência utilize o seu telemóvel ou os telefones de emergência para pedir auxílio.
  • Evite sempre caminhar entre os carris do metro. Se tiver de o fazer, nunca toque no terceiro carril pois este é um condutor de eletricidade e pode ser mortal.
  • Se estiver a andar entre os carris, esteja sempre muito atento. Os comboios aproximam-se sem aviso prévio pelo que pode ser atropelado.


Em Autocarros
  • Siga sempre as instruções do condutor.
  • Se necessário, utilize as janelas laterais como saídas de emergência. Para partir as janelas, utilize os martelos vermelhos colocados nas laterais.
  • Não se esqueça que a escotilha superior é também uma saída de emergência. Esta tem um mecanismo próprio para ser aberta em situações de emergência.


No Comboio
  • Utilize o alarme de emergência só em situações de perigo. 
  • Se necessário utilize o intercomunicador existente ao pé do alarme de emergência para falar com o condutor.
  • Em caso de incêndio, afaste-se e abra as janelas para garantir a ventilação da carruagem.
  • As portas de emergência estão localizadas nas extremidades do comboio. No entanto, só as deve utilizar quando o condutor indicar.
  • Quando abandonar as carruagens, deve fazê-lo na direcção oposta à das outras linhas.
  • Utilize os telefones de emergência, ou o seu telemóvel, para pedir ajuda.

Segurança em Hotéis

Nos locais públicos, os riscos não advêm apenas da concentração de pessoas. Ao contrário de emergências em locais que conhecemos bem, como as nossas casas ou os locais de trabalho, nos espaços públicos o desconhecimento do edifício pode constituir um perigo grave. A preocupação deve ser maior em hotéis, uma vez que são sítios onde nem sempre estamos acordados e preparados para agir em caso de emergência.


Cuidados Gerais em Hotéis
  • Se estiver num hotel, tenha o cuidado de se familiarizar com as saídas de emergência. Se encontrar nas saídas de emergência uma porta fechada ou bloqueada, informe o imediatamente responsável de segurança.
  • Conte o número de portas que tem de atravessar até chegar à saída de emergência. Em caso de incêndio, mesmo com muito fumo, saberá sempre onde se encontra.
  • Analise cuidadosamente a planta de segurança e certifique-se que conhece o caminho de pelo menos duas saídas de emergência.
  • Se tiver qualquer tipo de dificuldade motora, auditiva ou visual deve informar a receção.
  • Avalie se no quarto onde vai ficar hospedado é possível saltar pela janela sem sofrer lesões de maior.
  • Memorize a localização dos alarmes e materiais de combate contra incêndio.
  • Aprenda a ligar e desligar o ar condicionado. Em caso de incêndio este pode encher o seu quarto com fumos e gases tóxicos.
  • Deixes sempre as chaves/cartão do quarto perto da porta de saída para que sejam facilmente levadas numa situação de fuga.


Numa situação de emergência
  • Se detectar uma situação de emergência, ative o sinal de alarme.
  • Em caso de incêndio, sempre que atravessar uma porta nunca se esqueça de a fechar para evitar a propagação do fogo.
  • Utilize sempre as escadas.
  • Se ouvir o sinal de alarme e estiver num elevador, deve abandoná-lo no próximo piso.
  • Quando ouvir o sinal de alarme, deve sair imediatamente do quarto, utilizando a saída de emergência mais próxima.
  • Não se esqueça de sentir a temperatura das portas com a mão para evitar abrir portas que escondem fumo e chamas.
  • Não volte atrás para buscar bens materiais.
  • Desloque-se agachado para evitar inalar fumo e gases tóxicos. A inalação destes é a principal causa de morte em incêndios.
  • Quando abandonar o seu quarto, leve as chaves/cartão de entrada consigo. Se estiver cercado pelo fogo e precisar de se refugiar no seu quarto, vai precisar das chaves para abrir a porta.
  • Se ficar preso no seu quarto à espera de auxílio e necessitar de abrir uma janela, verifique primeiro que não há fumo a subir dos andares inferiores.
  • Só em último recurso deve partir os vidros das janelas. Estas podem ser uma forma de fumos e gases entrarem no seu quarto.
  • Se estiver refugiado no seu quarto, encha a banheira com água e coloque lá dentro toalhas e lençóis. Molhe a porta abundantemente e isole com toalhas molhadas a parte inferior da porta e as condutas de ventilação
  • Utilize um pano molhado para cobrir a boca e o nariz para se proteger da inalação de fumo e gases tóxicos.
  • Se as suas roupas estiverem a arder, deve parar, deitar-se e rolar no chão até que as chamas sejam extintas.
  • Nunca toque nas vítimas, a não ser que elas estejam numa situação de perigo iminente. Os primeiros socorros, quando mal prestados, podem causar lesões permanentes.