PT EN   
 

Cidadão

Idosos

Conselhos de Segurança e Comodidade em Casa para Seniores

Muitas vezes os cidadãos seniores têm dificuldades em equilibrar-se e movimentar-se pelo que é muito importante que saibam como adaptar as habitações às dificuldades que enfrentam. Fique a conhecer conselhos práticos para melhorar a segurança e a comodidade nos lugares frequentados por seniores.


Conselhos Gerais
  • As portas e as janelas devem permitir uma abertura fácil a partir do interior, para que possam ser utilizadas como saídas de emergência.
  • Como medida de segurança adicional, deverá instalar detetores de incêndio em casa, incluindo nos quartos e na garagem.
  • Se tiver problemas auditivos ou visuais, deve instalar alarmes que utilizem sinais luminosos ou por vibração. 
  • Se tiver dificuldades em deslocar-se e necessitar de ajuda, certifique-se que em caso de emergência terá alguém que virá em seu auxílio. 
  • Mantenha sempre um telemóvel perto de si. Se ficar encurralado poderá ligar para pedir ajuda.
  • Pratique regularmente simulações de incêndio e percorra os caminhos que vai ter de utilizar para abandonar a sua residência em caso de emergência.
  • Os principais números de emergência devem estar colocados perto do telefone e gravados na memória do telemóvel.
  • As instalações elétricas e os eletrodomésticos devem ser mantidos limpos e em boa condição.
  • As passadeiras e os tapetes devem ser anti-derrapantes para evitar quedas.
  • Os cabos e fios elétricos não devem ser colocados em passagens ou corredores porque podem provocar quedas.
  • Preferencialmente, a porta de entrada não deve ter degraus. Se tal se verificar, estes devem ser nivelados.



Cozinha
  • A cozinha deve ser bem iluminada, especialmente nas áreas do fogão, lava-loiça e bancada.
  • Não coloque cortinas ou outros materiais que possam incendiar-se perto do fogão.
  • Limpe regularmente o exaustor, assim como os filtros deste.
  • Certifique-se que o sistema de ventilação da cozinha é ligado ao exterior e nunca a outros espaços como o sótão, garagem ou cave.
  • Os armários não devem estar muito altos para que possam ser facilmente acedidos.
  • Os interruptores devem estar colocados perto das portas.
  • Os botões do fogão devem estar colocados da parte frontal deste.
  • O chão da cozinha deve estar sempre limpo e seco para evitar quedas.
  • Quando cozinhar, as pegas das frigideiras e dos tachos devem estar viradas para a parte de trás do fogão.
  • Não utilize mangas e roupas largas quando cozinhar porque estas podem incendiar-se.
  • Não ligue o microondas sem que tenha colocado primeiro a comida no interior deste.
  • Os eletrodomésticos mais pequenos devem ser desligados da tomada quando não estão a ser utilizados.
  • As facas devem estar sempre arrumadas quando não estão a ser utilizadas.
  • Quando entornar qualquer tipo de substância na cozinha limpe-a imediatamente, especialmente se esta for escorregadia.


Escadas e Halls
  • As escadas devem estar em boas condição e desobstruídas de qualquer objeto que possa causar quedas.
  • As escadas devem ter tiras anti-derrapantes.
  • As escadas devem ter corrimões em ambos os lados e devem ter altura suficiente para que não bata com a cabeça no tecto.
  • As escadas devem ter interruptores no topo e na base e devem ser bem iluminadas.


Sala de Estar
  • Os fios elétricos não devem ser colocados debaixo de carpetes ou tapetes.
  • As cadeiras e os sofás devem ser estáveis e seguros. Para facilitar a utilização dos mesmos, estes não devem ser muito baixos.
  • Os interruptores devem estar perto da porta.
  • Se utiliza mobília para se apoiar, certifique-se que esta é estável e que está sempre segura.


Casa de Banho
  • A banheira ou base devem ter um tapete anti-derrapante e uma porta de segurança de plástico.
  • Coloque barras de apoio em sanitas e banheiras.
  • O interruptor deve estar perto da porta.
  • Certifique-se que a porta da casa de banho abre para fora.


Quartos
  • O seu quarto deve ficar no rés-do-chão para facilitar a saída em caso de emergência.
  • Deve manter uma lanterna perto da cama para utilizar sempre que não houver luz.
  • Certifique-se que tem muito espaço para se movimentar à volta da cama.
  • Se necessário, utilize uma cadeira estável onde possa apoiar-se ou sentar-se para se vestir.
  • O chão do quarto não deve ter desníveis para evitar quedas.


Exterior de Casa
  • Os acessos devem estar sempre arranjados e desobstruídos.
  • Caso tenha corrimão no acesso a casa, este deve estar seguro.
  • As portas, os degraus e os passeios devem ser nivelados e bem iluminados.
  • O portão da garagem deve ser fácil de abrir.
  • A garagem deve ter um sistema de ventilação adequado.

Segurança contra Incêndio

Em caso de incêndios em edifícios, os idosos, cuja idade é superior a 65 anos, correm um risco maior devido à sua mobilidade mais reduzida. Tendo isto em conta, é importante estar sempre preparado para conseguir abandonar a sua habitação o mais depressa possível.


Segurança em Casa
  • Sempre que possível tenha o seu quarto no rés-do-chão para facilitar uma eventual saída em caso de emergência.
  • Como medida de segurança, poderá instalar detetores de incêndio em todas as instalações da sua casa, incluindo os quartos e a garagem.
  • Deve instalar em sua casa um sinal de alarme. Quando está a dormir, ao invés de despertar, o fumo de um incêndio poderá levar a um estado de sono profundo.
  • Se tiver problemas de audição procure no mercado alarmes que contornem esta situação, como por exemplo, que emitem um alarme por vibrações e com luz.
  • Pratique regularmente simulações de incêndio e os caminhos que tem de percorrer para abandonar a sua residência em caso de emergência.
  • Se tiver dificuldades em deslocar-se e necessitar de ajuda certifique-se que há alguém que em caso de emergência possa vir em seu auxílio. No caso dessa pessoa não estar sempre disponível, deve ter a certeza que mesmo assim haverá alguém que virá em seu socorro.
  • Tenha portas e janelas que sejam fáceis de abrir através do interior da casa para as poder utilizar como saídas de emergência.
  • Mantenha sempre um telemóvel perto de si. Se ficar encurralado poderá ligar para os bombeiros e pedir ajuda.



Segurança em Residências e Centros de Dia
Nos dias que correm, grande parte da população sénior vive em residências ou frequenta centros de acolhimento. Ao contrário de uma habitação privada, estes espaços têm uma grande concentração de pessoas. Nestes casos, as regras de prevenção e segurança que se aplicam são naturalmente mais rígidas e exigentes.
 
  • As residências e centros de dia devem estar sempre equipados com alarmes e detetores de incêndio.
  • O edifício deverá ter equipamentos para combate de incêndio, como extintores ou carretéis. A instalação de sprinklers é aconselhada como uma mais-valia para a segurança.
  • As zonas onde se encontram e circulam pessoas com mobilidade reduzida devem ser situadas ao nível do rés-do-chão.
  • Os elevadores devem ter proteção para que não funcionem como uma chaminé em caso de incêndio.
  • Se pessoas com mobilidade limitada circularem nos andares superiores, os lares devem possuir zonas de refúgio onde estas possam, em caso de emergência, aguardar por auxílio.
  • O número de funcionários presentes no edifício, mesmo durante a noite, deve ser suficiente para evacuar todos os idosos que precisem de auxílio. 
  • Nestes espaços é proibida a utilização de grades ou outros equipamentos que dificultem o acesso de equipas de segurança.
  • As diferentes divisões do edifício devem estar separadas com portas corta-fogo para evitar/retardar a propagação em caso de incêndio.
  • Os edifícios com mais de 50 pessoas (clientes e funcionários) têm de ter duas saídas de emergência, sendo que uma delas deve ser utilizada somente para esse efeito.
  • As portas das saídas de emergência devem estar sempre equipadas com barras anti-pânico.
  • As saídas de emergência nunca devem estar a uma distância superior a 30 metros de qualquer ponto do edifício. 
  • As saídas de emergência devem estar sempre desobstruídas.
  • A sinalização que indica as saídas de emergência deve ser visível em qualquer zona do edifício.
  • A utilização ou arrumação de materiais inflamáveis ou que possam facilmente explodir (materiais de limpeza ou garrafas de oxigénio) deve ser efetuada com todas as precauções.

Tecnologias de Segurança

O desenvolvimento tecnológico, como os sistemas de Wi-Fi, de bluetooth ou sensores de movimento, têm incorporados equipamentos de auxílio à população sénior, garantindo a esta uma maior autonomia e bem-estar. Conheça algumas destas tecnologias de segurança e as suas funcionalidades.
 

Sistemas de teleassistência
Os sistemas de teleassistência são serviços de apoio telefónico criados a pensar nas pessoas seniores que vivem sozinhas em casa.

Através deste sistema, as pessoas podem, quando necessitam, facilmente entrar em contacto com uma central telefónica para pedir auxílio. Depois de recebida a chamada, o telefonista irá acionar os mecanismos de emergência para a ajuda seja prestada rapidamente.
 
Como funcionam os sistemas?
Existem vários serviços que estes sistemas podem incorporar além da função de teleassistência. No entanto, esses serviços são, na grande generalidade, constituídos por dois elementos:

Box – Comunicador: faz a ligação ao call-centre através da ativação do botão de emergência. Este comunicador é uma componente fixa e está ligada à rede telefónica.

Dispositivo Móvel de Emergência: assumem, na maior parte dos equipamentos disponíveis no mercado, a forma de pulseira ou colar. É um dispositivo que deve acompanhar sempre o utilizador e que permite que este possa pedir auxílio sem ter de se deslocar até ao comunicador/box.

Central telefónica: além dos elementos instalados em casa do utilizador, o sistema está ainda ligado a uma central telefónica. A central telefónica encontra-se disponível durante 24 horas por dia e entra em contacto com o utilizador quando este aciona o sistema para tentar saber qual a natureza da emergência, ligando depois para as equipas de auxílio ou família do indivíduo.
 
Vantagens para os utilizadores
  • Prolongamento da autonomia.
  • Facilidade no acesso a ajuda em caso de emergência.
  • Sensação de segurança.


 
Sistemas de Monitorização à Distância
Os sistemas de monitorização permitem que uma pessoa seja acompanhada à distância através de um familiar ou outra pessoa contratada para esse efeito. Normalmente estes sistemas podem ser adquiridos como complemento dos serviços de teleassistência. No entanto, é possível adquirir estes serviços em separado.

Ao oferecer a possibilidade de controlar alguns sinais vitais, a localização ou os movimentos do utilizador, os sistemas de monitorização permitem que as pessoas que recebem a informação relativa ao utilizador do sistema detetem situações de perigo ou emergência.
 
Aspectos que podem ser monitorizados à distância:
Apesar das funcionalidades variarem de equipamento para equipamento, a maioria dos serviços disponíveis no mercado permitem monitorizar os seguintes aspectos:
  • Ritmo diário do utilizador;
  • Alguns sinais vitais;
  • Imobilidade anormal – permite detetar quedas;
  • Passividade prolongada;
  • Tentativa de fuga ou ausência prolongada;
  • Remoção da pulseira;
 
Como funcionam os sistemas?
O modelo dos sistemas de monitorização é semelhante ao modelo utilizado pela teleassistência, sendo essa a razão pela qual estes serviços são frequentemente apresentados em conjunto. O sistema de monitorização é constituído por:

Box – Comunicador: sistema que transmite a informação recolhida para a central onde os dados do utilizador são controlados e analisados.

Sensores/Pulseira: os sensores e a pulseira recolhem a informação sobre o utilizador e enviam-na para a central onde esta é analisada. Algumas pulseiras emitem sinais para que seja possível localizar os utilizadores. Esta função é extremamente útil quando os utilizadores sofrem de demência ou de Alzheimer.

Central de informação: A informação recolhida é enviada para uma central onde depois é acedida pela pessoa que controla o utilizador do sistema, pelo fornecedor do serviço e, em alguns casos, médico de família.
 
Vantagens para os utilizadores:
  • Prolongamento da autonomia.
  • Permite detetar situações de emergência em que o utilizador não foi capaz de pedir ajuda.
  • Fornece uma sensação de segurança ao utilizador.
  • Permite encontrar e detetar situações em que o utilizador está a abandonar a residência quando não o devia fazer.
  • Permite localizar um utilizador quando este se perde.


Aparelhos de Gestão de Medicamentos
Os aparelhos de gestão de medicamentos têm como função auxiliar os idosos com a medicação. Estes aparelhos são programados atempadamente para fornecer os medicamentos, na quantidade exata e às horas certas, aos utilizadores, evitando assim que este tenha problemas com a sua medicação.
 
Como funcionam estes sistemas?
Este sistema funciona com base num aparelho onde são inseridos atempadamente os medicamentos, já com as dosagens corretas. Nesse aparelho é também definida a horas a que determinado medicamento deve ser tomados.

Quando chega a hora de tomar os medicamentos, o aparelho dá um sinal indicador ao utilizador para este saber que tem de tomar os comprimidos. Depois de ouvir o aparelho, o sénior carrega num botão e o aparelho entrega-lhe os medicamentos que têm de ser tomados.

Se o utilizador não tomar os medicamentos, o aparelho, que está ligado a uma linha telefónica, avisa os familiares, ou outra pessoa, sobre esse facto. Desta forma, é possível lembrar, através de um telefonema, o utilizador do sistema que este tem de tomar a medicação.
 
Vantagens para os utilizadores
  • Garante que os medicamentos são tomados corretamente.
  • Permite assegurar a independência do utilizador.
  • Evita preocupações do utilizador.

Critérios de escolha de uma Residência Sénior

Quando é a altura de escolher uma residência sénior para habitar, há que ter vários cuidados. A segurança e a resposta às suas necessidades devem ser a principais prioridades, mas há outros aspetos que também deve ter em conta.


Segurança Contra Incêndio
Ao contrário de uma habitação privada, estes espaços têm uma grande concentração de pessoas. Nestes casos, as regras de prevenção e segurança que se aplicam são naturalmente mais rígidas e exigentes. Conheça as condições que deve procurar na escolha de uma residência para habitar.
  • As residências e centros de dia devem estar sempre equipados com alarmes e detetores de incêndio.
  • O edifício deverá ter equipamentos para combate de incêndio, como extintores ou carretéis. A instalação de sprinklers é aconselhada como uma mais-valia para a segurança.
  • As zonas onde se encontram e circulam pessoas com mobilidade reduzida devem ser situadas ao nível do rés-do-chão.
  • Os elevadores devem ter proteção para que não funcionem como uma chaminé em caso de incêndio.
  • Se pessoas com mobilidade limitada circularem nos andares superiores, as residências devem possuir zonas de refúgio onde estas possam, em caso de emergência, aguardar por auxílio.
  • O número de funcionários presentes no edifício, mesmo durante a noite, deve ser suficiente para evacuar todos os idosos que precisem de auxílio.
  • Nestes espaços é proibida a utilização de grades ou outros equipamentos que dificultem o acesso de equipas de segurança.
  • As diferentes divisões do edifício devem estar separadas com portas corta-fogo para evitar/retardar a propagação em caso de incêndio.
  • Os edifícios com mais de 50 pessoas (clientes e funcionários) têm de ter duas saídas de emergência, sendo que uma delas deve ser utilizada somente para esse efeito.
  • As portas das saídas de emergência devem estar sempre equipadas com barras anti-pânico.
  • As saídas de emergência nunca devem estar a uma distância superior a 30 metros de qualquer ponto do edifício.
  • As saídas de emergência devem estar sempre desobstruídas.
  • A sinalização que indica as saídas de emergência deve ser visível em qualquer zona do edifício.
  • A utilização ou arrumação de materiais inflamáveis ou que possam facilmente explodir (materiais de limpeza ou garrafas de oxigénio) deve ser efetuada com todas as precauções.
 
QUESTÕES QUE DEVE COLOCAR AO SELECCIONAR UMA RESIDÊNCIA SÉNIOR


Aspecto Geral da Residência
  • A residência tem um aspeto harmonioso?
  • A atmosfera entre os residentes é amigável e convidativa?
  • A residência tem cheiros desagradáveis?
  • A residência tem um aspeto limpo?
  • Como é a mobilidade dentro da residência? Há acessos a pensar nas pessoas com mobilidade reduzida?
  • A residência dá resposta a todas as suas necessidades?
  • Se necessitar de mais cuidados terá de mudar de residência?
  • Há transportes públicos perto da residência?
  • Os outros residentes têm necessidades semelhantes às suas?


Funcionários
  • Os funcionários estão sempre atarefados ou têm tempo para estar à conversa com os residentes?
  • Quantos funcionários existem para cada residente?
  • Qual a formação dos funcionários da residência?
  • Com que regularidade está o administrador presente na residência?
  • Os funcionários encorajam-no a ser ativo?
  • Quantos funcionários ficam a trabalhar durante as noites?


Espaços Comuns
  • Existe jardim?
  • Há sala de silêncio para ver televisão ou ler?
  • Há sala para jogos como ténis de mesa ou xadrez e damas?
  • Existe internet nos espaços comuns?
  • Há jornais e revistas para ler?
  • A residência tem lugares para as práticas religiosas (ex: sala de orações ou capela)?


Quarto
  • O tamanho dos quartos satisfaz as suas necessidades?
  • Pode levar os seus objetos de decoração (ex: quadros, plantas e mobília)?
  • Tem telefone privado no seu quarto?
  • Tem acesso à internet?
  • Tem televisão?
  • É um quarto privado ou partilhado?
  • Tem casa de banho privada?
  • Existe um cofre no seu quarto para guardar bens valiosos?


 
Casas de Banho
  • As casas de banho estão preparadas para pessoas com dificuldades móveis?
  • É-lhe garantido assistência durante o banho?
  • A casa de banho é partilhada?


Actividades e Serviços
  • Pode sair sozinho durante o dia para passear?
  • Que atividades existem perto da residência (ex: lojas, cinemas, teatro, bibliotecas)?
  • Que atividades são oferecidas pela residência (ex: ginástica, passeios, jogos colectivos)?
  • As atividades são realizadas ao ar livre?
  • Como são divulgadas as atividades organizadas?
  • Há conselho de residentes para proteger os interesses destes?
  • É encorajado a partilhar a sua opinião à direção da residência?
  • Tem acesso a serviços jurídicos?
  • Que serviços médicos são oferecidos pela residência? Qual frequência dos mesmos?
  • A sua medicação é supervisionada, ou é independente?
  • Em caso de doença, quais os meios utilizados pela residência para avisar a sua família?
  • Há serviços de apoio à gestão do seu dinheiro?


Refeições
  • É lhe permitido escolher as refeições?
  • Há menu para vegetarianos ou outras dietas específicas?
  • Há sala específica para as refeições, ou pode comer no seu quarto se preferir?
  • Pode cozinhar as suas refeições se desejar?


Horários e Rotinas
  • Tem liberdade para fazer os seus horários, ou tem horários pré-definidos?
  • Pode visitar os espaços exteriores da residência quando desejar?
  • Pode escolher as suas roupas livremente?
  • Pode escolher a regularidade com que toma banho?


Visitas
  • As visitas são livres, ou há horários pré-definidos?
  • Quais os horários das visitas?
  • Em que espaços pode receber os visitantes? Pode receber visitas nos lugares públicos e no quarto?
  • Existem quartos para os visitantes?
  • É permitida a entrada a crianças na residência?


Contrato
  • Que despesas estão incluídas na mensalidade?
  • Qual os meios de pagamento das mensalidades?
  • O que tem de levar para a residência?
  • Que despesas extra terá de pagar (ex: fraldas, material de casa de banho, produtos de cosmética)?
  • Como são calculados os custos extra?
  • Com quantos dias de antecedência é avisado se o quiserem expulsar?
  • Se a residência fechar, ou necessitar de ser transferido, quais as obrigações da residência?
  • Pode levar animais domésticos?


Segurança
  • Os quartos são no rés-do-chão?
  • As portas e saídas de emergência permitem uma abertura fácil a partir do interior?
  • Se tiver dificuldades de mobilidade, há alguém disponível para o ajudar em caso de emergência?
  • Quantas pessoas funcionários trabalham na residência durante a noite?
  • Com que regularidade o plano de emergência é praticado?
  • Os alarmes de incêndio estão adequados para pessoas com dificuldades auditivas e visuais?
  • Os equipamentos de combate contra incêndios (ex: extintores, carretéis) estão em condições?
  • Existem zonas de refúgio ou saídas de emergência nos andares superiores pensadas para pessoas de mobilidade reduzida?
  • Existem grades na residência que dificultem a entrada das equipas de segurança?
  • As portas e saídas de segurança estão prontas para serem utilizadas sempre que houver uma emergência ou estão trancadas?
  • Existem portas corta-fogo entre as diferentes divisórias da residência?
  • Quantas saídas de emergência existem? (Indicação: as residências onde se encontrem mais de 50 pessoas precisam de pelo menos duas saídas de emergência)
  • As saídas de emergência estão equipadas com barras anti-pânico?
  • As saídas de emergência estão desobstruídas e bem sinalizadas?